Voltar ao Topo

Siga Bem Caminhoneiro mostra condições da BR-101, a “Rodovia da Morte”

  • De 05/04/2017
  • às 17:36
  • por Da Redacao

Conhecida como “Rodovia da Morte”, a BR-101 foi assunto do Siga Bem Caminhoneiro em junho de 1995

A BR-101, no trecho de 465 km que cruza o estado de Santa Catarina, tornou-se um pesadelo para boa parte da população do estado. Construída na década de 70 para suportar uma carga de três mil veículos por dia, a “Rodovia da Morte”, como era conhecida, contava com um trânsito de quase 12 mil veículos nos trechos mais problemáticos. O resultado não poderia ser outro, excesso de tráfico e um número absurdo de acidentes: cerca de 3200 por ano, com pelo menos 350 mortos.

Veja também: Siga Bem Caminhoneiro mostra o dia a dia dos “caminhoneiros das águas”

A única solução para o caos da BR-101, em Santa Catarina, foi a sua duplicação, já que ela corta a região mais rica e industrializada do estado. À época, um grande movimento popular apoiado por caminhoneiros e empresários decidiu abraçar a rodovia ao longo de todo o estado para despertar a atenção do governo para a necessidade de sua duplicação.

Mas a preocupação de tanta gente encontra eco também nos moradores da margem da rodovia, como o garoto Emerson Aparecido Batista, de Itapocu (SC), vendedor de laranjas. Apesar de não saber bem o que é a duplicação da BR-101, acha que se não fosse as dificuldades da estrada apertada, sua história poderia ter sido diferente.

O resultado do movimento popular na BR-101 foi um documento com cerca de um milhão de assinaturas entregue ao Governo Federal na esperança de que o problema fosse resolvido com prioridade e acabasse de vez com a triste fama de “Rodovia da Morte”.

Mais BR-101: Rodamos pela BR-101 até o Porto de Itajaí, em Santa Catarina

Confira muito mais na matéria do repórter Murilo Carvalho!!

Compartilhe
  • De 05/04/2017
  • às 17:36
  • por Da Redacao

Deixe uma resposta

CLOSE
CLOSE